Embu das Artes não precisa de um governo interino e sim de novas eleições!

Nota da Executiva Municipal do PSOL Embu das Artes.

 logo_psol_embu

 

A cidade de Embu das Artes vive uma página difícil de sua história, de muita instabilidade e incertezas. Na prática, o processo eleitoral ainda não teve um desfecho. A chapa eleita, com 38% dos votos dos eleitores da cidade, está suspensa fruto de uma profunda investigação criminal e a  justiça  eleitoral, além de suspender a diplomação, determinou a instalação de um governo interino que foi eleito de forma indireta, pela Câmara Municipal,  sem a participação da população.

 

Embu das Artes é uma cidade de 260 mil habitantes distribuídos em 70 km2, com orçamento municipal que gira entorno dos 500 milhões de reais. Faz parte do Cinturão Verde, sendo as suas áreas de preservação importantes para o controle do clima, da biodiversidade, além de ajudar no abastecimento de água de mais de 3 milhões de pessoas. É uma Estância Turística que recebe milhares de turistas todos os finais de semana. Por outro lado, cresceu de forma desordenada e possui desafios enormes na área da saúde, educação, moradia e transporte.

 

Neste sentido, essa instabilidade política prejudica diretamente a vida da população embuense, que deve ter o direito de escolher novamente seu representante. O governo interino, nos seus poucos dias, já mostrou que representa os interesses da chapa que está suspensa, anunciou que o município está mergulhado em uma dívida de 240 milhões, mas manteve 6 secretários do governo anterior, inclusive o secretário de Finanças, que ajudou a afundar o município, além do cancelamento do Carnaval, alegando uma economia de 150 mil reais, o que representa apenas 0,1% dos 130 milhões do orçamento da saúde, ou seja, até o momento o governo interino deu sinais de que irá investir muito em propaganda, com poucas mudanças reais para a cidade. A cidade não pode ficar na mão de um governo interino.

 

O PSOL se apresentou nas eleições de 2016 com o lema “De Mãos Limpas, por uma Cidade Mais Justa” e nossa chapa foi encabeçada pelo aguerrido companheiro Juninho, presidente estadual do PSOL e pelo grande artista plástico Gaíga, além de uma aguerrida chapa de vereadoras e vereadores, formando uma frente com o PSTU. Nos colocamos como uma alternativa política, com um programa popular de mudanças reais para a cidade.

 

Diante desse contexto, entendemos que a melhor saída para essa indefinição política da cidade é que haja novas eleições para prefeitura e que a população embuense possa, através do voto direto, decidir sobre sua representação. E o PSOL continuará se apresentando como uma alternativa para a nossa querida cidade.

 

Embu das Artes, 8 de janeiro de 2016.

DEPUTADO FEDERAL IVAN VALENTE DO PSOL DESTINA 700 MIL REAIS PARA MATERNIDADE DE EMBU DAS ARTES

O PSOL de Embu das Artes articulou com o Deputado Federal Ivan Valente uma emenda parlamentar de 700 mil reais para equipar e reformar a maternidade da cidade que está fechada desde o dia 16 de junho deste ano.

Na última disputa eleitoral todos os candidatos falaram em reabrir a maternidade mais foi o candidato do PSOL Juninho, também presidente estadual do partido, que ajudou na articulação com o deputado para viabilizar os recursos para contribuir na reabertura desse importante equipamento de saúde da cidade “agora está na mão do próximo prefeito de apresentar um projeto e captar o recurso para equipar e reformar a maternidade, nós do PSOL vamos acompanhar, fiscalizar e pressionar para que isso ocorra com rapidez e transparência”, enfatizou Juninho.

Durante a campanha Juninho afirmou por diversas vezes o compromisso pela reabertura da maternidade, “ O prefeito ficou 8 anos sentado na cadeira e deixou o prédio caindo aos pedaços, não teve coragem e competência para reforma, faltando 6 meses para acabar o seu mandato, de forma irresponsável, fechou a maternidade, como temos um compromisso com a cidade, independente do resultado eleitoral, vamos continuar lutando pela melhoria dos serviços públicos de nossa cidade, por isso batalhamos pela emenda e vamos cobrar da próxima administração” afirmou o presidente estadual do PSOL.

 

Veja logo abaixo a Justificativa da Emenda.

Justificativa Emenda para Reforma e aquisição de equipamentos para a Maternidade na cidade Embu das Artes – SP

 

Embu das Artes, com 260 mil habitantes, é uma cidade de médio porte. De acordo com o Governo Municipal, cerca de 90% dessa população não possui assistência médica privada. Depende, portanto, do serviço de saúde público. Informação extraída do site da prefeitura.

 

Hoje não nascem mais cidadãos embuenses das artes, no último dia 16 de junho a maternidade da cidade de Embu das Artes foi fechada para uma reforma por conta do mau estado de conservação do prédio e para adequações exigidas pelo Ministério Público Federal.

 

Neste sentido, essa emenda parlamentar é fundamental para garantir a reforma, instalação de equipamentos e modernização deste importante e único equipamento dessa modalidade na cidade contribuindo com um municipio de 260 mil habitantes.

 

Espelho Embu

Pré-candidatura de Juninho como alternativa de mudança para Embu das Artes

“Primeiro que dinheiro não vota, quem vota são as pessoas e venho sentindo nas ruas um apelo por mudanças.”

Entrevista com Juninho, presidente estadual do PSOL em São Paulo e pré-candidato a prefeito de Embu das Artes, falando dos desafios dos próximos períodos e da necessidade histórica de construir uma nova política na cidade, combatendo as oligarquias e empoderando a população, com participação, ética e transparência:

Boletim do PSOL Embu das Artes
Essa é um publicação do Partido Socialismo e Liberdade de Embu das Artes – Junho/julho 2016

Juninho do PSOL é alternativa ao desgoverno de Embu das Artes

Juninho do PSOL apresenta seu nome como alternativa política de Embu das Artes para o resgate das lutas populares, da participação social e defesa da Saúde, Educação, Cultura e Meio Ambiente, esquecidos ou

Quem paga a banda escolhe a música: Juninho questiona os grandes "investimentos" em campanhas eleitorais e propõe a construção de uma alternativa limpa, sem rabo preso com a influência do comprometimento financeiro

Quem paga a banda escolhe a música: Juninho questiona os grandes “investimentos” em campanhas eleitorais e propõe a construção de uma alternativa limpa, sem rabo preso com a influência do comprometimento financeiro e apresentando propostas

mesmo destruídos por uma verdadeira ‘operação desmonte’ ocorrida na cidade nos últimos anos.

Juninho é Jornalista, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pelo CELACC/ECA-USP. É Presidente Estadual do PSOL São Paulo. Militante do Círculo Palmarino, corrente do movimento negro, foi presidente do Instituto Manuel Querino entre 2007 e 2015. Morador de Embu das Artes, é dirigente do PSOL na cidade desde 2005.

Juninho tem uma forte atuação no campo cultural, estando a frente do Ponto de Cultura “De periferia para periferia valorizando a cultura afro-brasileira”. Foi assessor parlamentar do vereador Professor Toninho entre 2004 e 2008 e do Deputado Federal Ivan Valente entre 2009 e 2015. Em 2012 foi candidato a vereador e em 2014 foi Candidato a Deputado Estadual pelo PSOL.

Pergunta: Porque entrar na luta política de 2016?

Juninho: Porque a cidade somos nós, o povo, ela é nossa, e não daqueles que se encastelaram no poder para enriquecer e destruir a cidade.

Pergunta: É possível mudar a cidade?

Juninho: Claro, com muita participação da sociedade, realizando um governo aberto, com contas abertas, transparente, que tenha os movimentos sociais, culturais, a juventude, engajados todos a um projeto de governo verdadeiramente popular e participativo.

Pergunta: Quais são as principais questões que pretende enfrentar em possível governo ?

Juninho: Primeiro temos o desafio de fazer uma varredura nas contas públicas e criar formas de combate sistemático à corrupção, principalmente ampliando a transparência. Segundo, precisamos que a população governe junto, queremos implantar o Congresso da Cidade onde o povo vai decidir os destinos dos recursos da cidade. Terceiro, precisamos barrar o processo de devastação da cidade e pensar um outro projeto de desenvolvimento que preserve o meio ambiente e valorize as nossas riquezas culturais. Quarto, precisamos enfrentar com seriedade o caos na saúde de nossa cidade com maior investimento e acompanhamento. Educação, Direitos Humanos e Cultura também serão prioridades, precisamos pensar uma cidade que respire diversidade, que respeite as mulheres, negras e negros, LGBT’s, as diversas matrizes religiosas.

Pergunta: Você acha que tem alguma chance contra adversários tão ricos e poderosos?

Juninho: Primeiro que dinheiro não vota, quem vota são as pessoas e venho sentindo nas ruas um apelo por mudanças, portanto os dois “ditos” principais candidatos fazem parte da base de apoio do atual governo portanto representam o “continuísmo” de tudo que está aí. E além disso, vale ressaltar que ambos são ficha suja e correm o risco de nem poder concorrer nas eleições. Acredito muito na fábula da “Lebre e a Tartaruga”, enquanto eles correm , vamos dando passos firmes e consistentes, quando eles cansarem continuaremos caminhando rumo a vitória. Quero realizar uma campanha-movimento. Debater as questões da juventude, dos produtores de Cultura, ambientalistas, professores(as), profissionais da saúde, com o pessoal do esporte, defender e assumir a luta por uma cidade sustentável, criar um lema que movimente as pessoas, ‘Se Embu das Artes fosse Nossa’. Sabemos lutar, podemos vencer.

Nota do PSOL Embu das Artes contra o descaso com a nossa maternidade e com a saúde do povo

 

A comunidade Embuense foi surpreendida no último dia 16/06 com o anuncio do fechamento da maternidade da cidade para a realização de uma reforma.

Vale ressaltar que o PSOL de Embu das Artes é totalmente a favor das melhorias dos equipamentos públicos, principalmente da Saúde que se encontra completamente sucateada.

Maternidade fucionando de forma irregular há muito tempo, MPF determina o seu fechamento para adequação

Maternidade fucionando de forma irregular há muito tempo, MPF determina o seu fechamento para adequação

Porém, o que nos chama atenção na nota publicada no site da Prefeitura é que se diz que a reforma “atende a i

nterpelação feita pelo Ministério Público Federal (MPF). A Prefeitura de Embu das Artes foi questionada pelo MPF e fará a adequação da estrutura física da Maternidade Municipal, de acordo com a Lei 11.108/2005 (que alterou a Lei 8.080/90), que regulamenta os serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A maternidade municipal foi inaugurada em 2004, antes, portanto, da vigência da lei atual”.

Ou seja, a reforma só está sendo feita 11 anos após a mudança da lei federal que regulamenta quais são as condições mínimas para o funcionamento da maternidade.

Outro aspecto que nos chama bastante atenção é porque fazer essa reforma no apagar das luzes do governo Chico Brito, que dificilmente irá terminar a obra, e vai jogar todo o ônus para o futuro prefeito, como uma tentativa de limpar as mãos.

Na placa que anuncia a reforma na porta da maternidade não existe o nome de nenhuma empresa, ou seja, a reforma será feita pelos próprios funcionários da prefeitura. Então a pergunta que fica é porque essa reforma não foi feita antes?

Também vale ressaltar que no momento do fechamento do Ponto Socorro do Vazame para transformá-lo em “Hospital Leito”, uma das justificativas é que não havia dinheiro. Então a impressão que fica é que o fechamento repentino da maternidade é mais uma manobra do prefeito irresponsável que afundou o caixa da prefeitura e vem a cada dia sucateando ainda mais os serviços de nossa cidade.

Descaso com a saúde está matando o povo de Embu!

Dando uma olhada nos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) fica muito nítido como o serviço prestado à população vem decaindo nos últimos anos. Entre 2010 e 2012 a média de mortes nos hospitais da cidade foi de 114 por ano. Em 2013/14 esse número cresceu assustadoramente, chegando a uma média de 588 em cada ano!
A saúde da mulher também piora a cada dia, especialmente durante a gravidez, período em que a mulher mais necessita de cuidados. Sem pré-natal adequado, muitos bebês vêm morrendo por doenças originadas ainda na barriga das mães e que não são devidamente acompanhadas e tratadas. De 2010 a 2012 foram “apenas” 4 casos, mas

Saúde pública não tem sido tratada com prioridade em nosso município

nos dois anos seguintes Embu registrou a morte de 55 crianças entre a 22ª semana de gestação até os sete dias de vida (período perinatal).

O aumento das mortes é estarrecedor! Para além de simples dados estatísticos estão aqui vidas humanas. Poderia ter sido diferente, é lamentável.

A população de Embu das Artes não pode continuar pagando, por vezes com a própria vida, pelas irresponsabilidades de seus governantes. Este ano teremos uma grande oportunidade de mudar os rumos no processo eleitoral, mas também acreditamos na organização e mobilização popular como formas de pressionar e garantir melhorias.

Nós do PSOL continuaremos fiscalizando e denunciando os desmandos na saúde e se for necessário acionaremos a justiça para cobrar dos responsáveis por esses desmandos!

Exigimos responsabilização já!

Deputado Ivan Valente destina 700 mil para UPA Santo Eduardo

O Deputado Federal Ivan Valente, PSOL – SP, apresentou uma emenda parlamentar de 700 mil reais para aquisição de equipamentos para UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Jardim Santo Eduardo.

A emenda foi uma solicitação do seu secretário parlamentar e Presidente Estadual do PSOL Juninho e do dirigente do PSOL Embu das Artes Professor Toninho, lideranças da região que há muito tempo vem cobrando da prefeitura a instalação desse importante equipamento.

Espelho da Emenda do Deputado Ivan Valente.

Espelho da Emenda do Deputado Ivan Valente.

Na justificativa da emenda o Deputado apresentou os seguintes argumentos:

 

“Embu das Artes, com 260 mil habitantes, é uma cidade de médio porte. De acordo com o Governo Municipal, cerca de 90% dessa população não possui assistência médica privada. Depende, portanto, do serviço de saúde público. Informação extraída do site da prefeitura.

 

Hoje a cidade conta com apenas dois Pronto Socorros que foram construídos há mais de 30 anos. Um na região central e outro no bairro do Jardim Vazame. Para tentar amenizar esse sufoco o Município começou a construir, com apoio do Governo Federal, em 2010, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santo Eduardo. O prédio foi levantado, parte dele foi entregue para instalação da Unidade Básica de Saúde mas a parte destinada ao Pronto Atendimento ainda não foi entregue.

 

Portanto essa emenda parlamentar se justifica para garantir a compra e instalação dos equipamentos necessários para o funcionamento da UPA Santo Eduardo que beneficiária de forma decisiva o conjunto da população embuense e em especial as mais de 50 mil pessoas entorno do equipamento.”

 

Histórico

As obras da UPA Santo Eduardo tiveram inicio no dia 8 de julho de 2010 com previsão de entrega em 12 meses. Orçada em 3,2 milhões de reais a Construtora Progredior Ltda recebeu no ano de 2010 o valor de R$ 1.373.265,49 e em 2011 mais R$ 2.128.919,39 segundo o Portal Transparência da prefeitura de Embu das Artes.

ato em defesa da upa12.05 (12)

Além de não entregarem o prédio as Obras da UPA ficaram paradas por 3 anos, com o prédio sendo deteriorado. Após a realização de manifestações na porta do prédio abandonado e na porta da Prefeitura, durante visita do então  Ministro da Saúde Arthur Chioro, as obras foram retomadas em 2014.

 

Porém, em fevereiro deste ano, o Prefeito entregou apenas uma parte da obra,  o espaço destinado para UBS (Unidade Básica de Saúde) Dom José. Desde então, a população vem  aguardando a inauguração da UPA. O Prédio aparentemente está pronto mas vazio sem os equipamentos. “Com a chegada da emenda do Deputado Ivan Valente a prefeitura não terá mais desculpas para atrasar a entrega desse tão sonhado equipamento”, afirma Juninho.

ato em defesa da upa12.05 (13)

PSOL de São Paulo elege jovem militante do movimento negro como presidente

Juninho_circulo_palmarino_Facebook

O Congresso estadual do PSOL de São Paulo realizado neste final de semana elegeu para presidir o seu diretório estadual Josélício Junior, mais conhecido como Juninho, liderança do movimento negro e dirigente do Círculo Palmarino, entidade que congrega militantes anti-racistas em todo o Brasil e cuja sede é em Embu das Artes (SP).

Por Dennis de Oliveira, do Quilombo 

Foi um fato de grande importância histórica para a luta contra o racismo pois pela primeira vez uqm partido político será dirigido por um militante do movimento negro. Mais ainda: um militante da nova geraçãode ativistas anti-racistas, que tem pautado sua ação política pela denúncia do genocídio da juventude negra – Juninho teve papel fundamental na Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara Federal que investigou a violência contra jovens negros e que, no relatório final, reconheceu a existência do genocídio – pela formulação do conceito de “faxina étnica” na configuração dos espaços urbanos ao constatar que há um processo de isolamento, guetificação e repressão brutal das periferias, e criticado a excessiva institucionalização de determinadas lideranças do movimento negro que se contentaram em ocupar as franjas dos espaços governamentais, em que secretarias, conselhos e outros órgãos criados para tratar de políticas públicas de combate ao racismo vivem com orçamentos pífios e com pouquíssima capacidade de ação.

Qual a importância da eleição de Juninho para presidir um partido de esquerda e que vem crescendo nos últimos anos? Primeiro, o reconhecimento público da importância da militância no movimento negro, tradicionalmente colocado como um “patinho feio” junto a outros movimentos, como o estudantil, sindical e popular. Haja vista a total inexistência de parlamentares federais que vieram deste tipo de movimento (os poucos parlamentares negros existentes hoje vieram de outros movimentos ou articulações e não do movimento negro). Segundo, a possibilidade concreta de que a luta contra o racismo será colocada no centro da agenda deste partido, o que contribuirá para que esta temática ganhe maior visibilidade na esfera pública política. E terceiro, que esta discussão seja extremamente qualificada pois Juninho não é só mais um militante do movimento negro mas um verdadeiro quadro que tem se esforçado em inovar na elaboração teórica da temática das relações raciais no Brasil. É um grande estudioso do grande pensador Clóvis Moura, articulou a reflexão sobre o racismo na Fundação Lauro Campos (do PSOL) que lançou uma revista especial com artigos sobre este tema.

Por isto, este fato não é algo que tenha importância apenas para o PSOL e seus simpatizantes, mas uma verdadeira vitória do movimento negro. O flyer acima tem razão que é uma resposta a ofensiva conservadora que cresce no país. Boa sorte, Juninho.

Leia a matéria completa em: PSOL de São Paulo elege jovem militante do movimento negro como presidente – Geledés http://www.geledes.org.br/psol-de-sao-paulo-elege-jovem-militante-do-movimento-negro-como-presidente/#ixzz3papONwLF
Follow us: @geledes on Twitter | geledes on Facebook

Líder do PSOL denuncia ação da Máfia do Asfalto em Embu


DSC03531Ação do grupo DEMOP/Scamatti pode ter rendido propinas de mais de R$ 2 milhões a agentes públicos de Embu das Artes

 

O ex-vereador Antonio de Jesus Rocha, atual presidente do PSOL de Embu das Artes reuniu a imprensa em uma coletiva na sede da APEOESP em Taboão da Serra, para denunciar o que chamou de esquema da Máfia do Asfalto em Embu das Artes, que pode ter rendido mais de R$ 2 milhões em propinas a agentes públicos da cidade entre os anos de 2011 e 2013.

 

Com cerca de dez veículos presentes, entre sites e jornais da região, professor Toninho, como é mais conhecido, disse que vem investigando os contratos da prefeitura de Embu com a DEMOP Participações, do Grupo Scamatti, desde junho, e constatou que a cidade de EMBU aparece citada por 45 vezes em duas planilhas da propina, encontradas na casa do contador do esquema da Máfia do Asfalto, em uma cidade do interior paulista.

 

Segundo os documentos apreendidos pela Polícia Federal e em poder do GAECO, agentes públicos de Embu podem ter recebido até R$ 2.341.000,00 em propinas, isto sem contar com uma doação legal à campanha eleitoral do prefeito Chico Brito, em 2012, de R$ 200 mil, onde consta como doador (em duas parcelas de R$ 100 mil cada) a empresa Scamatti & Seller, do grupo DEMOP.

DSC03532

O empresário Olívio Scamatti, líder do grupo, teria entregue pessoalmente a representantes da prefeitura de Embu algumas das parcelas da propina. Ele esteve preso entre março e novembro deste ano, acusado de comandar um grande esquema de corrupção que envolveu 78 prefeituras, em concorrências fraudulentas. Somente em Embu das Artes, Scamatti conseguiu mais de R$ 32 milhões em contratos de pavimentação e recapeamento de vias públicas.

 

Professor Toninho ataca: “Fizeram serviços em ruas sem nenhuma necessidade de recapeamento, muito menos tapa-buracos. Quanto o serviço é executado, é de má qualidade, e na primeira chuva vira buraco de novo; para isso comprometeu 32 milhões de reais. Isso faz parte de um esquema pesado de corrupção”, acusa o líder do PSOL na cidade.

 

Ele chamou a atenção da imprensa para o fato de que nas listas da propina apreendidas pela Polícia Federal exista o nome de EMBU grafado 45 vezes, ao lado de valores que vão até R$ 100 mil cada, e em pelo menos dois deles aparece o nome CHICO ou FRANCISCO (que seria o nome do prefeito Chico Brito) da seguinte forma:

 

DSC03530

2012– 24/Ago – EMBU CHICO – R$ 46.000,00 (OLIVIO / OSVALDO).

** ‘Coincidentemente’, o prefeito Chico Brito nasceu justamente no dia 24 de agosto, e completou exatamente neste dia, 45 anos (nasc. 24/08/1967).

2013

– 01/Fev – FRANCISCO – R$ 20.000,00 (OLIVIO / ENG EMBU).

 

Toninho apresentou uma farta documentação à imprensa, além de cópias das ações impetradas por ele no TCE – Tribunal de Contas do Estado, MPE – Ministério Público Estadual, Promotoria de Justiça de Embu, e na Câmara Municipal da cidade. Ele disse esperar que a Justiça apure todos os fatos a fundo, não deixando que a impunidade se estabeleça neste que pode ser o maior caso de corrupção na história da cidade.


 

 

 

 

PSOL Itapecerica da Serra realiza Plenária com militantes da região

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

 

 

Nesse domingo, 03 de Março, o Diretório do PSOL de Itapecerica da Serra realizou uma plenária que contou com a participação das cidades de Embu das Artes, Taboão da Serra e Embu Guaçu. Esteve presente também o Presidente Nacional do PSOL, Deputado Federal Ivan Valente que falou sobre a conjuntura nacional e da importância de “conquistar corações e mentes daqueles que estão dispostos a mudar a sociedade”.

Os presidentes municipais Prof. Toninho de Embu,  Stan de Taboão da Serra, Claudinei de Itapecerica e Orlando de Embu Guaçu fizeram um balanço das últimas eleições e demonstraram otimismo com o crescimento do partido na região. “Mesmo sem recursos e brigando contra a poderosa máquina do governo obtivemos quase 18 mil votos para prefeito”, disse prof. Toninho.

   530900_562847020400952_60873767_n    Carolina Peters, do Setorial de Mulheres do PSOL falou sobre as   atividades de 08 de Março e sobre o Acampa JSOL que acontecerá nos dias 15, 16 e 17 de Março na cidade de Jarinu. Mais informações acesse http://www.facebook.com/juventudesol?ref=ts&fref=ts.

 

 

 

602800_562854217066899_916744910_nA companheira Deusdete de Embu das Artes destacou a importância da participção da mulher na vida política. “Quantas mulheres ocupam a presidência de diretórios, por exemplo?”. Destacou ainda que “a luta do PSOL é por qualidade da educação, por atendimento digno na saúde pública” etc.

 

 

 

Parabéns ao Diretório de Itapecerica da Serra e aos 50 militantes presentes nesse encontro que mostraram que “nada pode parecer impossível de mudar”.

 

 

 

Construindo a cidade com poder popular

Professor Toninho, casado, 2 filhos, formado em História pela USP. É professor da rede estadual de ensino há 25 anos, sempre esteve junto de sua categoria em defesa de melhores condições de trabalho, salários e de uma educação pública gratuita e de qualidade.

Professor Toninho foi vereador de Embu das Artes por três mandatos. É reconhecido como uma das principais lideranças políticas da cidade, seja por sua atuação quando foi vereador, na luta contra a desigualdade social, racial e de gênero, seja pelo constante diálogo com os movimento sociais, particularmente na luta por creche; área de lazer; moradia popular; preservação ambiental e cultura.

A Atuação de Professor Toninho tem a marca da luta contra a corrupção, o que significa um contraponto à política neoliberal dos governos conservadores. Sua presença na Prefeitura de Embu das Artes é a garantia de um governo comprometido com a defesa dos interesses populares, melhoria das condições de vida em nossos bairros, defesa do desenvolvimento econômico, social e sustentável de Embu das Artes.

Professor Toninho está preparado para governar Embu das Artes, exercendo plenamente o poder popular, garantindo mecanismos de participação, articulação e decisão do povo para juntos construirmos a cidade que queremos.

 

Gaiga

Jair Alves dos Santos, conhecido como Gaíga, é professor de arte formado pela FAAP, ator e artista plástico.Trabalha e vive em Embu das Artes desde 1968. Iniciou sua atuação como ativista cultural nos anos 80 quando foi um dos fundadores do grupo de teatro Trapo Humano. Colaborou também com os festivais de música Canta Tereza. É um autêntico defensor da cultura e das Artes em nossa Cidade. É reconhecido como um dos principais artistas de Embu das Artes. Como militante político é fundador do PSOL.  Na sua trajetória Gaíga provou sua competência e compromisso  com a luta pelos direitos humanos e cidadania plena para todos em nossa cidade.

Professor Toninho desafia Chico Brito ao debate

Chapa da Frente de Luta Socialista: Embu é do Povo

O PSOL e PSTU formalizaram no último dia 24 de junho a conformação da Frente de Luta Socialista: Embu é do Povo que indicou como candidato a Prefeito o Professor Toninho, tendo como vice o artista plástico Gaiga.

Em seu discurso diante da militância e apoiadores Professor Toninho desafiou o candidato a reeleição Chico Brito para debater as questões da cidade, “eu desafio o Chico Brito a fazer uma defesa convincente do governo dele. Eu quero está de frente com o Chico para ver se consegue explicar cadê os 10 milhões que sumiram da Avenida Rotary, eu desafio o Chico Brito a defender o desmatamento da cidade, a defender a privatização da saúde e da maternidade”, afirmou.

Sobre a educação infantil Professor Toninho disparou “A única creche que ele ensaiou construir foi tão incompetente que o teto caiu e teve que fazer novamente e gastar dinheiro público”. O Candidato do PSOL se refere a creche do Jardim Santo Eduardo que teve o teto demolido por erro na engenharia e onde foram investidos inicialmente 1,2 milhão de reais dos cofres públicos.

Diante do cenário político colocado na cidade Professor Toninho enfatiza que “Quem vai polarizar com o Chico Brito somos nós, com um programa alternativo. quando formos para as ruas como os nossos panfletos e nossas propostas eu tenho certeza que nós seremos acolhidos pela população, pois somos o novo”, e também afirmar “PT e PSDB estão cada vez mas parecidos e nós somos diferentes dos  dois”, conclui.

Conheça um pouco do candidato do PSOL

Professor Toninho, casado, 2 filhos, formado em História pela USP,  é professor da rede estadual de ensino há 25 anos, cumpriu 3 mandatos como vereador da cidade, atualmente é dirigente do sindicato dos professores APEOESP, militante do Círculo Palmarino, entidade do movimento negro e Presidente Municipal do PSOL.