Os casos de suspensão no Facebook: questão de pornografia ou controle dos nossos corpos?

 

Manifestantes da Marcha das Vadias foram suspensas após compartilharem no facebook fotos suas com os seios à mostra durante a manifestação. Casos como esse, em que a exposição do próprio corpo é considerada pornografia nessa rede social, já ocorreram e nos deixam indignadas ao vermos o cerceamento de nossa liberdade vindo de onde menos se espera.

 

Mas cabe pensarmos no que está por trás dessa punição: se, segundo as normas do facebook, a suspensão acontece após denúncia, são os próprios usuários que veem as fotos e as julgam pornográficas.

Esses ditos usuários provavelmente são os mesmos que compartilham diariamente fotos de mulheres de biquíni ou outra roupa que seja, normalmente ligada a uma mensagem machista, em uma estrondosa exposição e exploração do corpo da mulher como um objeto sexual. E são essas fotos que são diariamente compartilhadas pelas redes, “curtidas” e comentadas, mas contraditoriamente jamais ouvimos de qualquer delas serem denunciadas como pornografia.

Agora, quando temos mulheres no simples exercício de sua liberdade sobre seu próprio corpo temos denúncia e punição! Há tempos esses ditos usuários dizem que é pornografia amamentar em público, é pornografia querer mostrar fotos de uma mastectomia, é pornografia ter autonomia para mostrar seu corpo em uma manifestação política.

Isso nos mostra que a questão vai muito além do pornográfico em si, esse é mais um de muitos passados e futuros episódios de cerceamento e controle do corpo da mulher. A suspensão de nossas camaradas mostra que nosso corpo pode ser exposto e explorado, mas nós não podemos dizer BASTA ao controle de nosso corpo e expô-lo. Essa infelicidade só vem reavivar e reforçar que a nossa luta pela autonomia da mulher continua: direito ao nosso corpo JÁ!

Deixe um comentário:


*