Viva o dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher!

Mais do que palavras bonitas, flores, presentes, carinhos, mimos e atendimento a todo apelo consumista, este “sexo forte” merece que esta data especial seja também um momento de reconhecimento e reflexão pelos inúmeros direitos que precisam serem conquistados e também por todas situação de desigualdade e de violência que sofrem no dia-a-dia!!!

Faço memória a minha falecida mãe que ficando órfã em tenra idade, foi dada como animal para outrem cria-la e explorá-la em trabalhos nômades e semi-escravo, acarretando a perda de todo o contato com a sua arvore genealógica e tornando-a uma mulher condenada a viver nas prisões domésticas e a olhar a vida pelas brechas das suas janelas, com a alma dilacerada e a auto-estima destruída!!!

Faço memória: a coragem das Mulheres Negras que foram açoitadas, marcadas com ferro em brasa, penduradas em ganchos de ferro que lhes atravessavam as costelas e alma, e mesmo assim perseveraram na luta pela liberdade!

Faço memória a Intuição feminina que vem das índias – lobas, corujas, águias, ursas, beija-flores… – decifradoras dos mistérios das matas, florestas, caatingas… colhendo as folhas de todos os remédios e seguindo as estrelas com seus filhos pendurados dividindo leite com outros bichinhos!

Faço memória as conquistas paulatina da liberdade e dos direitos femininos que são frutos da luta de muitas mulheres: brancas, negras, gordas, magras, novas, antigas, (de todas as religiões ou sem nenhuma delas)… livres e ousadas para usar o mais vermelho dos batons e sair mundo afora como mestras das artes do encantamento ou livres e ousadas de cara lavada feito lírios dos campos e ostentando cabelos brancos e rugas talhadas pelas dores do tempo!

Mulheres uni-vos, pois de nada valerá a vã tentativa de apagar na outra o brilho que gostaria de ter … de nada valerá a perseguição implacável umas às outras, reproduzindo as palavras cínicas, machistas e maldosas que serpenteiam covardemente nas mídias conservadoras que invariavelmente se encontra na mão de políticos lacaios.

Desejo um lindo domingo para a minha esposa Ida, para as minhas filhas Vitoria e Janine, para a minha neta Isabelly, para a minha comadre Rozi, para todas as minhas irmãs, cunhadas, sobrinhas, vizinhas, colegas de trabalho e todas amigas e companheiras de caminhada socialista e das comunidades eclesiais de base do nosso planeta!

Que o dia 08 de março seja um dia de amor incondicional da humanidade e da união fraterna de quem se dedica, como disse Saramago, a “girar a roda do mundo”.

JORGE NELSON DA SILVA AMARAL, ex-Presidente e ex-Secretário Geral do PSOL DE MARÍLIA-SP

Convenção Estadual do PSOL homologa as Candidaturas de Marcelo Alves para Deputado Federal e Barba Pintor para Deputado Estadual

Ocorreu neste último domingo, 15 de junho, na Assembleia Legislativa de São Paulo, a Convenção Estadual do PSOL SP.
O evento reuniu mais de 500 militantes e oficializou a candidatura do historiador e professor da Universidade Federal do ABC Gilberto Maringoni para governador.
A convenção também aprovou o nome da vice, que será a educadora Hildete Nepomuceno, professora da rede municipal de São Paulo.
O PSOL aprovou aliança com o PSTU que indicou a servidora pública e candidata a prefeita de São Paulo em 2012 Ana Luiza ao Senado.
A aliança recebeu o nome de Frente de Esquerda, foi aprovado as diretrizes de propostas para o programa de governo que seguirá em debate entre os dois partidos para ser apresentado no início de julho.
Para 1º suplente de Senador a Convenção indicou o nome do ex. deputado estadual Anizio Batista.
Dois filiados do PSOL de Marília tiveram seus nomes indicados e aprovados em plenária, sendo assim o Partido Socialismo e Liberdade PSOL de Marília vem mais forte do que nunca para a disputa das eleições 2014 com dois pré-candidatos certos para a disputa do pleito eleitoral. Para Deputado Estadual quem tem a legenda garantida é o líder comunitário Sebastião Carlos de Oliveira (conhecido como Barba Pintor) para Deputado Federal o militante social e ativista Marcelo Alves.
Barba Pintor é morador das adjacências da favela do Argolo Ferrão (que corre esgoto a céu aberto), teve infância sofrida, marcada pela pobreza e pela violência, quando tinha 10 anos de idade seu pai foi assassinado na sua frente, conhece os problemas de Marília e possui muitas ideias boas para minimiza-los; é um homem simples, porém culto e embora saiba que seja difícil sua eleição, tem certeza que terá muitos votos conscientes de protestos que auxiliará outros companheiros a se elegerem e também ajudará o partido a crescer na cidade de Marília e toda a região. É revolucionário termos um morador de favela como candidato a deputado Estadual. Viva a voz da periferia!
A candidatura do Militante Social e Ativista Marcelo Alves a Deputado Federal representa os interesses dos trabalhadores, dos estudantes e dos movimentos sociais organizados sedentos da transformação social da realidade em que vivemos, e será instrumento de construção partidária para ajudar o PSOL a aumentar a sua bancada no Poder Legislativo e contribuirá para o avanço da consciência e da organização dos (as) trabalhadores (as) e das forças progressistas e democráticas da nossa região, bem como ao fortalecimento das lutas populares pela construção de uma sociedade mais justa, livre e menos desigual.
Marcelo Alves possui o apoio de diversos seguimentos comprometidos com a construção de uma sociedade radicalmente diferente da atual e a população que vive, no seu dia a dia, as mazelas, as contradições e a brutalidade de um mundo em que o lucro – e não os seres humanos – governam as relações sociais, a lógica de desenvolvimento e as ações do poder público.
Em Marília, o poder público ao invés de fortalecer a luta por esta construção tenta criminalizá-la, impedindo suas manifestações através da Marcha da Cidadania, a Frente Popular de Luta, MTST e outras lutas por direitos dos (as) trabalhadores (as) e dos cidadãos (ãs) de maneira em geral.
Sabemos que os problemas estruturais que afligem nosso país não serão resolvidos em quanto esses grupos políticos e econômicos estiverem no poder, pois estão comprometidos com um projeto de cidade que exclui a maioria de sua população e reproduz o poder econômico e político de suas elites; dessa maneira não representando a grande massa oprimida e marginalizada de nossa população.
A Candidatura de Marcelo Alves é apresentada como uma alternativa para aqueles e aquelas que acreditam ser possível e necessário construir um jeito novo de fazer política com projeto que protagonizará a intervenção popular desde a campanha, com o fomento dos comitês de bairro e o fortalecimento dos fóruns populares de educação, saúde, moradia, entre outros temas.
Marcelo é nascido em Marília, membro do Conselho de Leigos da Diocese de Marília e do Grupo de Fé e Política, recentemente demitido de uma grande indústria multinacional do setor de alimentos devido a sua militância política, seu engajamento sindical na luta pelos direitos dos trabalhadores (as) e batendo de frente com o sindicato pelego da categoria e seu ativismo pela dignidade e direitos humanos, e atuantes em diversos movimentos sociais e populares na cidade. Representando a expressão viva de que existe outro modelo de desenvolvimento para a cidade. Um modelo que pressupõe o diálogo com a população e que defende a garantia e a extensão de direitos, voltando-se para resolver os problemas estruturais da cidade, ao invés de transformá-la em um balcão de negócios.
Portanto trata-se de um candidato que possui um histórico de lutas a serviço dos interesses da classe trabalhadora e para avançar na garantia dos direitos humanos.
Com o apoio de organizações populares, estudantes e outros grupos, Marcelo mostra que mais do que boas propostas, sua candidatura demonstra conhecer o que vem sendo discutido e planejado por um conjunto de forças e sujeitos políticos que lutam pelas melhorias das condições de vida da população que reside, trabalha ou simplesmente transita pela cidade de Marília e região.
Outro diferencial é que Marcelo é ativista em movimentos sociais e populares há mais de 20 anos sendo o PSOL a sua primeira e única filiação partidária na luta pela dignidade e direitos do ser humano, não é um candidato que aparece com pseudo-realizações às vésperas da eleição. As lutas nas quais está inserido desenvolvem-se no cotidiano da cidade.
A ex. deputada federal Luciana Genro que deverá ter seu nome oficializado como candidata do PSOL a presidente da República na Convenção Nacional que ocorrerá no próximo final de semana em Brasília.

Jorge Nelson da Silva Amaral

Secretario Geral do PSOL de Marília

PSOL DE MARÍLIA TEM DOIS PRÉ-CANDIDATOS PARA O PLEITO ELEITORAL DE 2014

A Convenção Estadual do PSol SP acontecerá no próximo domingo, dia 15 de junho, a partir das 9 horas no auditório Franco Montoro da Assembléia Legislativa de São Paulo (ALESP), Av. Pedro Alvares Cabral, 201, Ibirapuera, São Paulo.
O objetivo da convenção é aprovar chapa majoritária do PSol (Governador, vice e senador), as chapas proporcionais(Deputado Federal e Deputado Estadual), a política de alianças e as linhas gerais do programa de governo e da campanha.
Em São Paulo o PSol deverá se coligar com o PSTU.
Os membros da Direção Estadual serão os delegados, conforme deliberado em Reunião do Diretório Estadual, e o ato será aberto a todos os filiados do partido.
Dois filiados do PSOL de Marília reivindicam legenda para o próximo pleito: O líder comunitário Sebastião Carlos de Oliveira (conhecido como Barba Pintor) para Deputado Estadual e o Militante Social Marcelo Alves para Deputado Federal.
Barba Pintor é morador das adjacências da favela do Argolo Ferrão (que corre esgoto a céu aberto), teve infância sofrida, marcada pela pobreza e pela violência, quando tinha 10 anos de idade seu pai foi assassinado na sua frente, conhece os problemas de Marília e possui muitas ideias boas para minimizá-los; é um homem simples, porém culto e embora saiba que seja difícil sua eleição, tem certeza que terá muitos votos conscientes e de protestos que auxiliarão outros companheiros a se elegerem e também ajudará o partido a crescer na cidade de Marília e toda a região.

A pré-candidatura do Militante Social Marcelo Alves a Deputado Federal representa os interesses dos trabalhadores, dos estudantes e dos movimentos sociais organizados sedentos da transformação social da realidade em que vivemos, e será instrumento de construção partidária para ajudar o PSOL a aumentar a sua bancada no Poder Legislativo e contribuirá para o avanço da consciência e da organização dos (as) trabalhadores (as) e das forças progressistas e democráticas da nossa região, bem como ao fortalecimento das lutas populares pela construção de uma sociedade mais justa, livre e menos desigual.
Marcelo Alves, possui o apoio de diversos seguimentos comprometidos com a construção de uma sociedade radicalmente diferente da atual e a população que vive, no seu dia a dia, as mazelas, as contradições e a brutalidade de um mundo em que o lucro – e não os seres humanos – governam as relações sociais, a lógica de desenvolvimento e as ações do poder público.
Em Marília, o poder público ao invés de fortalecer a luta por esta construção tenta criminalizá-la, impedindo suas manifestações através da Marcha da Cidadania, a Frente Popular de Luta, MTST e outras lutas por direitos dos (as) trabalhadores (as) e dos cidadãos (ãs) de maneira em geral.
Sabemos que os problemas estruturais que afligem nosso país não serão resolvidos em quanto esses grupos políticos e econômicos estiverem no poder, pois estão comprometidos com um projeto de cidade que exclui a maioria de sua população e reproduz o poder econômico e político de suas elites; dessa maneira não representando a grande massa oprimida e marginalizada de nossa população.

Marcelo Alves representada uma alternativa para aqueles e aquelas que acreditam ser possível e necessário construir um jeito novo de fazer política com projeto que protagonizará a intervenção popular desde a campanha, com o fomento dos comitês de bairro e o fortalecimento dos fóruns populares de educação, saúde, moradia, entre outros temas.
Marcelo é nascido em Marília, membro do Conselho de Leigos da Diocese de Marília e do Grupo de Fé e Política, recentemente demitido de uma grande indústria multinacional do setor de alimentos devido a sua militância política, seu engajamento sindical na luta pelos direitos dos trabalhadores (as) e batendo de frente com o sindicato pelego da categoria e seu ativismo pela dignidade e direitos humanos, e atuantes em diversos movimentos sociais e populares na cidade. Representando a expressão viva de que existe outro modelo de desenvolvimento para a cidade. Um modelo que pressupõe o diálogo com a população e que defende a garantia e a extensão de direitos, voltando-se para resolver os problemas estruturais da cidade, ao invés de transformá-la em um balcão de negócios.
Marcelo possui um histórico de lutas a serviço dos interesses da classe trabalhadora e para avançar na garantia dos direitos humanos.
Com o apoio de organizações populares, estudantes e outros grupos, Marcelo Alves mostra que mais do que boas propostas, sua candidatura demonstra conhecer o que vem sendo discutido e planejado por um conjunto de forças e sujeitos políticos que lutam pelas melhorias das condições de vida da população que reside, trabalha ou simplesmente transita pela cidade de Marília e região.
Outro diferencial é que Marcelo é ativista em movimentos sociais e populares há mais de 20 anos sendo o PSOL a sua primeira e única filiação partidária na luta pela dignidade e direitos do ser humano, não é um candidato que aparece com pseudo-realizações às vésperas da eleição. As lutas nas quais está inserido desenvolvem-se no cotidiano da cidade.

Jorge Nelson
Secretario Geral do PSOL de Marília

Reunião do Partido Socialismo e Liberdade – Marília – mês de maio de 2014

Você militante/filiado(a) ou simpatizante é convidado(a) à participar desta atividade partidária!
Pauta:
. Apresentação
. Informes;
. Breve análise de conjuntura pensando nas eleições de 2014 e 2016;
. Formação e debate: Reorganização, recomposição e planejamento estratégico para o PSOL ser um Partido atuante em sintonia com os movimentos sociais;
. Candidaturas.
Participe, todos nós somos o PSOL, um partido necessário !
Data: 20 de maio de 2014 (terça-feira)
Horário: 19.00 (dezenove ) horas
Local: Câmara Municipal de Marília
End. Rua Bandeirantes, 25
Contatos: Jorge Nelson (Secretário Geral) 99671-4051 e Marcelo Alves (Secretário de Comunicação e formação) 998269216

Ida Amaral
Presidente em Exercício do Psol/Marília

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DE ABRIL/2014

Aos cinco dias do mês de abril de 2014, às 15h, nas dependências da Câmara municipal de Marília sito na rua Bandeirantes, 40 – Marília-SP, na presença de filiados, simpatizantes e observadores, foi realizada a reunião ordinária do Diretório Municipal do Partido Socialismo e Liberdade da cidade de Marília-SP. A reunião teve início sob a presidência de Idalice Maria da Silva Amaral, a qual transferiu a coordenação da mesa ao Secretario Geral, Jorge Nelson da Silva Amaral. Composta a mesa, houve a apresentação individual de cada um dos filiados, simpatizantes e observadores presentes, ficando registrada a saudação e o acolhimento especial aos novos filiados do PSOL. Em seguida após o agradecimento pela generosa oferta de formação política proporcionada pelo Prof. Antônio Batista, fundamentada nos trabalhos dos pensadores Leonardo Boff, Frei Betto e Ademar Bogo, foi dada a palavra ao palestrante: ficando registrado que o recém filiado Allan, muito nervoso, interrompeu a fala do ilustre visitante para protestar contra as atitudes do Secretario Geral que segundo ele, lhe causou grandes aborrecimentos nestes dias, por ter trocado e-mails entre os membros do Partido, questionando as suas intenções e idoneidade e com uma suposta desconfiança de ele ter sido infiltrado no PSOL pelos Camarinhas; Jorge Nelson interveio pedindo para ser respeitada a fala do Palestrante e inquiriu a plenária se desejavam que o Professor Antônio Batista continuasse a sua exposição: 19 pessoas votaram a favor e o militante Octacílio Fonseca se manifestou contrario, salientando que Christiano pediu desculpa pela intervenção. Então a palestra prosseguiu. Sinopse: Para começar a conversa: Definição de Política: – Fazeres e omissões dos Seres Humanos; – Organização humana para a sustentação das relações entre as pessoas e das pessoas com a biosfera. Definição de Capitalismo: Modo de produção que tem como centro: – A matéria prima; – A força do trabalho; – Os meios de produção. Consequências do Capitalismo: – degradação ambientação; – Exploração humana; – Violência. A razão: Orienta o ser humano para a eficiência: – Na linha dos resultados; – Centrada no Eu e nos conhecimentos sistematizados; PORTANTO: – Egoísta; – Centraliza; – Marginaliza. O SENTIMENTO: Promove o ser humano na linha do acolhimento e promove: – A sensibilidade; – O respeito às diferenças; – A certeza da vitória; É o sentimento que torna as pessoas, as coisas e as situações. É a partir dos laços afetivos que promoveremos o novo homem e a nova mulher. A fábula: Mito de Higino sobre o cuidado. Na concepção do homem: – O espírito foi infundido por Júpter; – O corpo foi fornecido pela Terra. O CUIDADO: – Foi o arquiteto e o engenheiro; – Moldou o ser humano. É o cuidado que sublima a existência humana. O Militante: – Orienta sua prática pelo coração; – É sensível a toda forma de degradação da vida. Militar com o coração: – É colocar a causa acima dos próprios interesses; – É enfrentar o medo; – É morrer com a alegria. Na prática militante – a racionalidade dá lugar: – As expectativas para privilégios e promoções; – Ao medo; – A acomodação; – A indiferença. Na dualidade da concepção humana o Militante deve dar lugar ao cuidado. – Na mediação da dimensão Razão (logos) com a dimensão Sentimento (Pathos). – De modo que seja humano o suficiente para cuidar: 1- Da nave Terra; 2- Do próprio nicho ecológico; 3. Da sociedade sustentável; 4- Do outro; 5- Dos excluídos; 6- Do seu corpo. Para ser cuidado o militante deve ter a convicção de que: – É herdeiro de sonhos e não de patrimônios; – Não poderá alcançar a vitória, mas amenizará os esforços dos seus seguidores; – Como Militante não tem o poder; – Sem o povo não será militante e matará a utopia. Valores que todo Militante deve cultivar: – Solidariedade – indignação – compromisso – coerência – esperança – confiança – alegria – ternura – Utopia – humildade; É fundamental para o Militante entender que: – Na mesa dos ricos não há espaço para os pobres – Exploram os pobres para manter os seus privilégios. Reflita sobre a Poesia: “Um cão oportunista que vagueava, Ao ver uma cadeira vazia, Á mesa dos lobos se sentava. Estes lhe sorriam… E a eles fiel se dedicava. Imaginava o cão por ser bem parecido, que os lobos o tratariam eternamente, E se tornaria um deles certamente, E ali ficaria bem servido.Certo dia um lobo ao chegar, viu o cão sentado e o convidou a se levantar: – veja bom e fiel cão, chega a hora, De deixar esse lugar e cair fora! – Mas como? – Fala o cão sem entender. – Eu era quem cuidava deste posto, – Eu lhes garantia o Poder! – É certo bom e fiel cão! – Agradeço por ter-nos bem servido! – A verdade por termos permitido. Sentar-se a mesa e o poder com nós ter dividido, Era porque nosso filho menor não tinha ainda crescido”. O Militante precisa saber que: – A luta de classe de classe continua vigente e ainda mais fortes; – Os poderosos tudo faz para nos manter “Galinhas”. Outra Reflexão: “Certa vez um camponês encontrou no campo um filhote de águia que estava bastante enfraquecido. Levou-o para casa e o colocou para viver junto com as galinhas. Ali cresceu. Um dia, passando por ali um sábio disse: É uma águia! O Camponês disse: – Não, ela virou galinha! – Nunca voou e também não voará! Ela virou galinha! O sábio então disse vamos fazer uma prova? Tomaram a águia nos braços e foram para o alto de um penhasco. O sábio tomou a ave, mostrou a ela a direção do sol e a lançou para o alto. De início a águia começou a cair, mas aos poucos se aprumou e ganhou o infinito como se quisesse beijar o sol. Disse o sábio: – Uma águia jamais será galinha. Após veementes aplausos, Jorge Nelson propôs uma alteração na pauta para resolver o impasse e o clima tenso pairando no ar. E para garantir o equilíbrio e a ordem da reunião, transferiu a Coordenação da mesa para o militante Aldo Luiz Gonçalves Dias que com o auxilio do Professor Wilson, leu a carta de pedido de licenciamento do Antunes, cujo teor é o seguinte: Eu, JOSÉ APARECIDO ANTUNES, brasileiro, casado, Aposentado, CPF/MF n.º 251.187.818-68, residente e domiciliado na Rua João Antônio Duarte, 207 – Bairro Alcir Raineri – Marília-SP – CEP: 17.512.885 (telefone: 981656301), ora Presidente do Diretório Municipal do Partido Socialismo e Liberdade de Marília-SP, venho respeitosamente perante Vossa Senhoria, na forma da lei e das disposições estatutárias do Partido Socialismo e Liberdade, requerer o meu licenciamento temporário das atribuições de Presidente do Diretório do Município de Marília, por motivos particulares, as quais transfiro interinamente neste período de licenciamento, qual seja, a partir desta data, à Vice- Presidente do Diretório Municipal do Partido Socialismo e Liberdade de Marília-SP, Sra. Idalice Maria da Silva Amaral, a qual ficará Presidente em Exercício, com todos os poderes e deveres incumbidos a mim, na forma do Estatuto do PSOL. Ademais, saliento que cientifiquei tal fato aos demais membros da Executiva: Jorge Nelson da Silva Amaral (Secretário Geral), Marcelo Alves (Secretário de Comunicação e formação) e Maria Marta Pizzi (Secretária de Finanças), os quais estão de acordo. Na oportunidade, apresento a Vossa Senhoria protestos de elevada estima e distinta consideração. Marília, 27 de dezembro de 2013. José Aparecido Antunes. Presidente do Diretório do PSOL de Marília. Passado aos debates: Allan Christiano, reiterou os ataques virtuais sofridos por Jorge e por Marcelo, dizendo que entende que deve haver eleição imediata para a nova executiva de Marília, que o PSOL é fraco na cidade e citou o exemplo do fraco desempenho nas eleições de 2012; que ele é formado em administração de empresas e tem condições de conduzir o Partido para eleger dois vereadores em 2016, salientando que não tem problema se tiver que começar do zero. O Secretário de finanças Marcelo Alves, Prof. Wilson Dirceu, Toninho e Éliton manifestaram no sentido de que não é o caso de nova eleição, visto que o cargo de vice presidente é o substituto natural do Presidente. Aldo disse que concordava com esta tese, mas entendia que deveria haver votação do diretório. Jorge Nelson justificou a suas suspeitas em relação Allan: 1) Allan Christiano se filiou via Jamil- Bauru, sem nunca ter procurado o Diretório Municipal de Marília, para se quer conhecer o Partido; 2) Sem nunca ter se apresentando ao Diretório Municipal, nem participado de uma reunião sequer, criou uma página no facebook com o título PSOL Marília e estava usando esta ferramenta para fazer apologia e divulgar a sua breve posse como Presidente do Diretório de Marília, com a suposta intervenção do Jamil de Bauru; 3) Consta no filiawebe que Allan está filiado no PSB dos Camarinhas desde 1999; 4) Allan já estava com a sua chapa montada para tomar o Diretório de Marília. Allan se disse perseguido por Jorge Nelson, justificou que seus atos foram frutos de inexperiência e que quanto a sua filiação ao PSB data-se dos tempos que ainda morava em Tupã, que nem conhece os Camarinhas. Jorge Nelson disse que embora a executiva estivesse acatado o licenciamento de Antunes e deliberado por unanimidade pela continuidade de seu mandato até o final, não fazia oposição a uma votação para que o Diretório Municipal referendasse. Octacílio disse que Jorge Nelson é muito radical, e que quer exercer o controle sobres as filiações (não deixando ninguém entrar), salientando que entende que o Partido deve fazer filiações maciças sem qualquer discriminação, usando a metáfora da peneira. –“ filia-se qualquer um depois peneira-se o lixo”. Jorge Nelson reiterou as suas ideias que não se importa que o Partido seja pequeno, pois em sua opinião o PSOL deve crescer com qualidade e não em quantidade e que seu sonho é trazer pessoas boas para construir a legenda, como uma ferramenta de transformação da sociedade. Barba disse que a votação não deveria ocorrer nesta data, acusou Jorge Nelson de Ditador e disse que não foi avisado do dia e hora da reunião. Jorge Nelson narrou que encontrou o filiado Octacílio no desfile e este lhe afirmou que o Barba sabia da reunião, fato confirmado incontinenti pelo Octacílio. Em seguida, Jorge Nelson ausentou-se da sala e voltou com um exemplar do Jornal Diário de Marília do dia 04 de abril de 2014, e apresentou a matéria publicada naquele periódico em que constava a convocação veja: “O PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) promove amanhã (5) a reunião do diretório municipal. O encontro ocorre na Câmara Municipal, a partir das 15h. Na pauta como tema principal estão as eleições 2014, além de outras questões internas da legenda como a campanha de filiação e a formação de novas lideranças comunitárias. Além de recepcionar os novos filiados do partido em Marília. Esta também será a primeira reunião ministrada pela nova presidente do partido, Ida Amaral, aposentada na área da educação, que assumiu o cargo no lugar de José Antunes. São esperadas 30 pessoas. Neste ano o PSOL deve lançar duas candidaturas nas eleições de outubro, para deputado federal, Marcelo Alves e deputado estadual Sebastião, mais conhecido como Barba. “Entretanto, o prazo interno de pré-inscrição estipulado pelo partido termina nesta semana e no sábado faremos o levantamento para saber o número de possíveis candidatos. Ressaltamos que o diretório municipal não possui autonomia para manter as legendas”, informou o secretário geral do PSOL, Jorge Nelson da Silva Amaral (…) salientando também que foi publicado no facebok e no site do partido. Barba disse que trabalha muito, que não lê jornal e não tem acesso a internet. Após calorosos debates acalmados os ânimos foi deliberado por unanimidade que a Executiva atual, qual seja: Ida Amaral (Presidente em exercício) Jorge Nelson da Silva Amaral (Secretário Geral), Marcelo Alves (Secretário de Comunicação e formação) e Maria Marta Pizzi (Secretária de Finanças) comandarão o PSOL de Marília até o término do atual mandato que dar-se-á em 15 de novembro de 2014, ficando ainda deliberado que todas as novas filiações do PSOL de Marília doravante deverão serem encaminhadas ao Marcelo Alves (Secretário de Comunicação e formação). O PSOL realizará reuniões mensais e periódicas com formação e elaboração de plano de governo para ser implementado pela próxima executiva, tomando como base de diretrizes o teor constante na ata de posse da executiva atual. Em seguida Jorge Nelson retomou a Coordenação da reunião dando a palavra para o pré-candidatos a deputado federal Marcelo Alves que disse: Tenho uma esperança, uma inquietação, uma indignação imensa dentro de mim e estou sedento por transformações nas estruturas do sistema já corroídas pelos 500 anos de exploração do homem pelo homem e atual pelo grande capital financeiro. Como um soldado estou pronto para mais este embate como sistema opressor e repressor do senhor da guerra e de todos os males da nossa sociedade: o capitalismo em sua fase neoliberal. Coloco-me a disposição do partido a fim de aprofundar a luta na construção de sociedade mais justa, fraterna e menos desigual; e evidentemente incluindo a luta dos povos oprimidos e das minorias. oprimidos e das minorias. Sou operário de uma indústria alimentícia, membro do Conselho de Leigos da Diocese de Marília, membro do Grupo de Fé e Política, ativista na luta pela dignidade e direitos do ser humano, ativista e em movimentos sociais e populares, militante político há 20 anos sendo o PSOL a minha primeira filiação partidária. Acredito, pois vivo já há algum tempo dentro do PS☼L Marília, que este é o único partido político onde todos, inclusive a classe trabalhadora, tem as mesmas chances de terem uma legenda para disputar uma eleição. Pois em outras legendas só empresários e abastados conseguem, afinal o capital compra a legenda sendo assim o ciclo do capitalismo se fecha. Caso tenha a honra de ter candidatura aceita trabalharei com as seguintes plataformas: apoiando a luta dos povos oprimidos, movimentos sociais e das minorias; reforma do sistema educacional ampliando e elevando a qualidade da educação em todos os níveis; reforma política entre outras. Essa pré-candidatura representa a ruptura com um sistema coronelista falido, há décadas na política regional o outro lado da moeda onde o cidadão comum, o trabalhador, o oprimido, não se fez representado ou sequer fez parte dessa tão importante etapa do processo democrático: o protagonismo a uma pré-candidatura. Desde a recente redemocratização do país até os idos Brasil colônia, são raros os casos de proletariados assalariados participarem ativamente de um pleito eleitoral como protagonistas, ou seja, pré-candidatos ou candidatos. No PSOL como um partido socialista temos o dever de aproximar e estreitar a distancia entre as fabricas, as escolas, as universidade, enfim as ruas de maneira geral do processo eleitoral. Vamos quebrar esse paradigma? Ou a corrente é mais forte? Penso que quando ficamos fechados dentro de um partido político ou de qualquer outra instituição perdemos o foco e a realidade passa a ser distorcida, e nos dentro das nossas convicções e verdades achamos ser os donos da verdade quando na realidade não o somos. Pois a verdade todos sabem que está onde as coisa realmente e efetivamente acontecem: . Nas ruas dos bairros, vilas, favelas e morros das cidades com todos os seus movimentos sociais, populares e associações de moradores e centro comunitários. De oprimidos, excluídos, reprimidos, vitimas da omissão e violência do estado e da própria sociedade. Abolimos a escravidão em 1888, entretanto a estrutura as sociedade ainda é a mesma: escravocrata, entre muitos exemplos; • Nas escolas com o sistema educacional sucateado onde o aluno é ensinado apenas a obedecer e acatar, professor desmoralizado e desmotivado, e a falta de investimentos em todos os níveis de ensino; • Nas universidades que não conseguem, ou melhor, pouco produz cientificamente para o desenvolvimento do país. E em contrapartidas as políticas públicas não atendem as necessidades de investimento e incentivos aos centros universitários e acadêmicos. Nas fabricas onde o trabalhador e trabalhadora sentem na pele o reflexo de uma má formação escolar, refletindo diretamente no nível de salários e consequentemente de qualidade de vida sua e de sua família. E onde as trabalhadoras e trabalhadores abandonados à própria sorte por sindicatos em sua grande maioria pelegos vendidos e compromissos com os patrões virando as costas ao proletariado não tem sequer seus direitos e benefícios legais respeitados. Resumindo uma imensa classe trabalhadora nas fabricas produzindo a riqueza que esses trabalhadores e trabalhadoras jamais verão e muito menos a possuirão; • Nas casas onde as famílias veem seus direitos cerceados, usurpados e negados, e em contra partida uma carga tributaria cada vez mais pesada com sucessivos aumentos de impostos, taxas, tarifas e contribuições; • No campo com os trabalhadores rurais que são historicamente a categoria mais injustiçada do Brasil. E cada vez mais o oprimido pelos coronéis do agronegócio, pela falta de uma política publica que venha incentivar e apoiar o assentamento das famílias camponesas sem terra no campo, já que temos uma imensa desigualdade neste aspecto com 90% das terras produtivas nas mãos de apenas 10% das famílias brasileiras. Acredito que uma forma de mudarmos esta realidade, temos que enfrentar de frente e ter a coragem de fazermos as grandes reformas que o estado e o país necessitam. 1. Reforma educacional (revolução cultural); 2. Reforma política (institucional); 3. Reforma agrária (democratizar o acesso a terra e incentivo a agricultura familiar); 4. Reforma social (estrutura social); 5. Reforma do sistema de saúde publica (qualidade e quantidade suficientes à população). Reflexão: Apenas instituições sólidas asseguram um tríade da prosperidade: a confiança no país, a previsibilidade política e econômica, e a boa continuidade das ações publicas. “Todos sabemos como superar a crise europeia, apenas não sabemos como fazer isso e ganhar a próxima eleição” Jean-Claude Juncker ex-primeiro ministro de Luxemburgo. Dessa maneira vamos fazer do partido dinâmico e atuante fazendo efetivamente a diferença na política microrregional e macrorregional com uma campanha coerente dentro dos princípios do programa e estatuto do PSOL. Viva o PSOL. Viva o socialismo! Em seguida foi dada a palavra ao pré-candidato a Deputado Estadual, Barba Pintor que apresentou os motivos de sua inscrição fazendo questão de humildemente cumprimentar cada um e cada uma dos (as) presentes pedindo desculpa (e sendo desculpado) pela sua exaustão emocional e em seguida proferiu brilhante exposição em resumo dizendo ser morador da favela do Argolo Ferrão (que corre esgoto a céu aberto), teve infância sofrida, que viu seu pai ser assassinado quando tinha 10 anos de idade, que conhece os problemas de Marília e possui muitas boas ideias para solucioná-lo; que é um homem simples, porém culto e embora saiba que seja difícil sua eleição, tem certeza que terá muitos votos que poderão auxiliar outros companheiros a se elegerem e ajudar o partido a crescer. Emocionado Jorge Nelson teceu o seguinte comentário: Eu saio desta reunião com duas certezas: a primeira: de que nós estamos indo embora muito mais fortalecidos do que quando chegamos aqui hoje; A segunda: É que se o Barba tivesse sido eleito Vereador, em 2012, ele faria um mandato muito melhor do que a maioria dos trezes vereadores que estão aí. Por fim, foi deliberado como indicativo de data para a próxima reunião, o dia 17 de maio de 2014, às 15:00 horas na Câmara Municipal de Marília. Nada mais havendo a tratar, deu-se por encerrada a presente, cuja ata foi redigida por mim ( ), Jorge Nelson da Silva Amaral, e conferida e assinada por todos os presentes.

Com o licenciamento de Antunes, Ida Amaral assume a Presidência do PSOL de Marília

No dia 27 de dezembro de 2013 o Sindicalista, José Aparecido Antunes, protocolou pedido de licenciamento temporário das atribuições de Presidente do Diretório Municipal de Marília, por motivos particulares e durante a sua ausência Ida Amaral estará Presidente em Exercício.

A Executiva do PSOL de Marília convida todos os filiados e simpatizantes do Partido Socialismo e liberdade de Marília e da Região para participarem da próxima reunião ordinário do Diretório de Marília, que realizar-se-á no dia 05 de abril (sábado) às 15:00 horas na Câmara Municipal de Marília.

Pauta (sujeita a alteração):
1) Apresentação dos novos filiados;
2) Informes;
3) Momento de formação com o Prof. Antônio Batista
tema concepção partidária: a) O que significa ser um Partido Necessário para suprir os anseios da sociedade organizada, dos movimentos sociais e dos formadores de opinião; 2) Como deve ser o mandato de um parlamentar do PSOL.
4) Debate aberto;
5) Espaço dos supostos pré-candidatos do PSOL (se houver algum presente);

ÚLTIMA REUNIÃO DO PSOL DE MARÍLIA, NO ANO DE 2013, SERÁ NO DIA 19 DE DEZEMBRO

Comunicado:
Realizar-se-á no dia 19 (dezenove) de dezembro (quinta-feira) às 19:30 horas na Sede do SINSPREV sito na rua Paulino da Silva Lavandeira, 168 – (perto do Fórum) a última reunião ordinária do Diretório Municipal do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) do ano de 2013, a qual terá a seguinte pauta:
1. Informes; 2. Apronfundamento das reflexões sobre o planejamento para 2014, para buscar a melhor forma de implementá-lo; 3. Setoriais e Comissão de ética. 4. Elaboração do calendário para 2014. Todos os filiados e simpatizantes estão convidados.

forte abraço da Executiva:

José Aparecido Antunes – Presidente

Idalice Maria da Silva Amaral – Vice- Presidente

Jorge Nelson da Silva Amaral – Secretário Geral

Marcelo Silva Alves – Secretário de Comunicação e Formação

Maria Marta Pizzi – Secretária de Finanças

ELEITA A NOVA DIREÇÃO DO PSOL DE MARÍLIA PARA O BIÊNIO 2013/2014

Aos quinze dias do mês de novembro de 2013, às 9h, na sede do SINSPREV – Sindicato da Saúde e da Previdência sito na rua Paulino da Silva Lavandeira, 168 – Marília-SP, na presença de filiados, simpatizantes e observadores, foi realizada a reunião ordinária do Diretório Municipal do partido socialismo e liberdade da cidade de Marília-SP. A reunião teve início sob a presidência de José Aparecido Antunes. Composta a mesa, a qual foi coordenada por Jorge Nelson da Silva Amaral, foi aprovada a seguinte pauta: 1. Informes; 2. Conjuntura Partidária: que PSOL nós queremos; 3. Prestação de Contas. 4. Eleição de nova Diretoria Executiva do Diretório Municipal do PSOL de Marília-SP para o biênio 2013/2014. Foi realizado informe quanto ao congresso estadual do partido no dia 20/10/2013, professor Wilson como observador e Amazonas como delegado, comunicaram que consideraram muito rico os debates do congresso, principalmente quanto aos temas ligados a orientação do partido para 2014..Em seguida foi deliberado o seguinte: Foi avaliado que a região tem condições de participar mais efetivamente das instâncias partidárias, uma vez que houver melhor planejamento e ação por parte da militância, e assim esperam para a próxima oportunidade em 2015. Quanto aos debates sobre as perspectivas do PSOL nas eleições de 2014, foi discutida a participação efetiva do conjunto da militância, até mesmo com candidaturas da região, ou em torno de candidaturas de consenso com nomes de outras localidades do estado, desde que haja organização e coordenação para tanto. O PSOL de Marília, atuará de forma mais ativa, constituindo lideranças comunitárias, sendo protagonista das lutas dos movimentos sociais, tais como: marchas, abaixo-assinados, greves, protestos etc; Foi aprovado o indicativo dos membros acompanharem semanalmente as sessões legislativas, atuando como partido de classe, em favor da dignidade humana e em contraposição aos modelos partidários existentes, investindo na formação política, dialogando, contemplando e construindo a organização dos setoriais das minorias, sobretudo: da juventude, da mulher, dos aposentados, e dos portadores de necessidades especiais, utilizando melhor a comunicação via Internet, panfletos, jornais, etc, a fim de se organizar em sintonia com as necessidade do povo, fazendo reuniões mensais itinerantes que acontecerão na segunda quinta-feira de cada mês, às 20 horas e regionalmente a cada 3 meses em data e horários a ser decidido conjuntamente com o Professor Wilson Roberto Batista de Garça e o Sr. Raymundo (o Amazonas de Pompéia), tendo como meta trabalhar no fortalecimento e expansão do partido em relação as seguintes cidades da região: Gália, Fernão, Ubirajara, São Pedro do Turvo, Alvilância, Alvaro de Carvalho, Garça, Vera Cruz, Pompeia, Quintana, Paulopólis, Herculândia, Queiroz, Varpa, Tupã, Bastos, Iacri, Parapuã, Rinopolis, Oswaldo Cruz, Inúbia Paulista, Salmourão, Adamantina, Florida Paulista, Pacaembu, Irapuru, Brauna, Dracena, Adamantina, Lucélia, Junqueirópolis, Tupi Paulista, Panorama, Guaimbê, Getulina, Julio Mesquita, Guarantã, Pongaí, Pirajuí, Presidente Alves, Echaporã, Assis, Candido Mota, Palmital, Tarumã, Maracaí e Lutécia,Ourinhos, Ribeirão do Sul, Campos Novos Paulista, Ocauçu, Lupércio entre outras. Foi constatado que temos uma lacuna enorme a ser explorada e com ousadia, organização e coragem será possível adquirirmos uma sede própria, com telefone, computador, Internet, mesas, cadeiras, geladeira, fogão, etc. Fica registrado que a próxima reunião será no dia 12 de dezembro à 20 horas no SINSPREV e terá a seguinte pauta: 1. Informes; 2. Apronfundamento das reflexões supra para implementá-las; 3. Setoriais e Comissão de ética. 4. Elaboração do calendário para 2014. Foram consideradas boas as prestações de contas da atual diretoria sendo reconhecido e elogiado o esforço militante de Aldo Luiz Gonçalves Dias, José Aparecido Antunes, Maria Marta Pizzi e de toda a chapa dos candidatos a vereador e prefeito que disputaram o pleito de 2012, que contribui para tornar o PSOL conhecido e reconhecido na cidade de Marília-SP e Região, salientando que a atual diretoria executiva não deixou qualquer dívida ou pendência judicial ou extrajudicial, sendo que ficou consignado também que a nova executiva confeccionará imediatamente camisetas para divulgar e angariar fundos ao Partido. Foram eleitos por aclamação e empossados imediatamente, neste ato, para o Setorial dos Aposentados, o Senhor OCTACÍLIO FONSECA e para o Setorial dos Movimentos Sociais o Senhor SEBASTIÃO CARLOS DE OLIVEIRA (BARBA PINTOR). Por fim, também foi eleita por aclamação e empossada imediatamente, neste ato, a nova Diretoria Executiva do Diretório Municipal do PSOL de Marília-SP, para o biênio 2013/2014 que passa a ser composta da seguinte forma: Presidente: JOSÉ APARECIDO ANTUNES; Vice Presidente: IDALICE MARIA DA SILVA amaral; Secretario Geral: JORGE NELSON DA SILVA AMARAL; Secretario de Comunicação e Formação: MARCELO SILVA ALVES e Secretaria de Finanças: MARIA MARTA PIZZI. Nada mais havendo a tratar, deu-se por encerrada a presente, cuja ata foi redigida por mim ( ), Jorge Nelson da Silva Amaral, e conferida e assinada por todos os presentes.

campanha de filiação

O PSOL (Partido socialismo e liberdade) foi fundado em 6 de junho de 2004, após a expulsão dos parlamentares Heloísa Helena, Babá, João Fontes e Luciana Genro do PT, que não aceitaram a votar a favor da reforma da Previdência.
Recebeu apoio de intelectuais socialistas famosos, como do geógrafo Aziz Ab’Saber, do jornalista e ex-deputado Milton Temer, dos sociólogos Francisco de Oliveira e Ricardo Antunes, do economista João Machado, da economista Leda Paulani, dos filósofos Leandro Konder e Paulo Arantes8 e do cientista político Carlos Nelson Coutinho.
Buscando obter registro permanente na Justiça Eleitoral, o partido obteve quase 700 mil assinaturas a favor de sua fundação.
Em 15 de setembro de 2005, o registro definitivo foi obtido, e o número eleitoral adotado foi o 50.
O partido ganhou novas adesões a partir de setembro de 2005.
Isso foi um resultado da crise política causada pelas denúncias de um esquema de pagamento a congressistas para votarem de acordo com os interesses do executivo (o chamado escândalo do mensalão).
Foi causado também pelas mudanças ideológicas do PT que, na concepção do PSOL, abandonou o socialismo como meta estratégica. Militantes históricos e mesmo fundadores do PT, como Plínio de Arruda Sampaio, Miguel Carvalho e Edson Albertão, abandonaram o partido individualmente ou em conjunto.
Um exemplo de adesão coletiva ocorreu com a então corrente petista Ação Popular Socialista.
Alguns militantes petistas oriundos de movimentos sociais, como a dirigente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) Lujan Miranda e o Secretário Nacional de Movimentos Populares do PT, Jorge Almeida, o então vereador Clécio Luis, que sete anos depois viria a se tornar o primeiro prefeito do PSOL em uma Capital de Estado, os senadores Randolfe Rodrigues, na época deputado estadual, Marinor Brito, até então vereadora de Belém, José Nery, que migrou para o PSOL ainda como vereador belenense, o senador Geraldo Mesquita Júnior, oriundo do PSB, e os deputados federais Ivan Valente (São Paulo), Maninha (Distrito Federal), Chico Alencar (Rio de Janeiro)13 , João Alfredo (Ceará) e Orlando Fantazzini (São Paulo), ingressaram no PSOL.
Em Marília-SP, Jorge Nelson da Silva Amaral, Aldo Luiz Gonçalves Dias, José Aparecido Antunes, Nathalia, Toninho, Sabrina, Ida, Max, Cecílio, Sidney, Aldemir, Gustavo, Zé Carlos, Martinha, Barba, Serginho, Guilhermo, Octácilio Fonseca, Marquinho, João, Cleo, Silvio Santos, Seu Oswaldo, Gustavo, Reynaldo, Adelcio, Lucas, Alan, Márcia, Demitrio (perdoe-me se esqueci de mencionar algum companheiro) foram os primeiros a levantar a bandeira do PSOL com zelo, garra e muita dignidade.
Por decisão do Diretório Nacional, tomada em abril de 2006, foi realizada uma Conferência Nacional do partido entre os dias 26 e 28 de maio daquele mesmo ano. Durante esta Conferência, foi oficializada a candidatura da então senadora Heloísa Helena à Presidência da República e de seu vice, o economista carioca César Benjamin, nas eleições brasileiras de 2006. Foi também oficializada a formação da Frente de Esquerda com o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e o Partido Comunista Brasileiro (PCB).
O Primeiro Congresso do partido, no qual foram definidas as linhas programáticas, aconteceu no primeiro semestre de 2007.
A nova geração do PSOL é formada, na maioria, por milhares de jovens, homens e mulheres sem experiencias partidárias anteriores, mas ideológicos descobriram no partido, uma especie de reserva moral na politica brasileira.
Mas não é demais frisar que é preciso tomar cuidado com os aproveitadores: políticos malandros e viciados que enxergam o Psol (Partido novo e limpo) como uma legenda fácil para chegar ao poder.
Para evitar isto, convido você cidadão de bem (sem vícios políticos), para se juntar a nós, filiando-se ao PSOL para contruí-lo aqui na cidade de Marília.
A filiação ao PSOL é importante porque faz com que você tenha o direito de decidir sobre os rumos do partido.
No momento em que você está filiado você pode participar das reuniões, plenárias e convenções, ordinárias ou não, nas instâncias partidárias.
O PSOL é um partido que se constrói na base, portanto a participação do filiado se dá nos núcleos do partido, que tanto pode ser no bairro, categoria ou movimento do qual faça parte.
A participação no núcleo é vital, pois deles saem as discussões que nortearão o conjunto do partido.
De tempos em tempos são organizadas plenárias de núcleos com objetivo de aprofundar os debates e democratizar as decisões. Também são instâncias as Plenárias Regionais, os Encontros Estaduais e o Congresso Nacional do PSOL, que acontece de dois em dois anos.
Mais do que participar da vida do partido, o filiado é, antes de mais nada, um militante que carrega as bandeiras de luta do partido, atuando onde quer que esteja em favor da construção do socialismo no Brasil e no mundo.
Militar é ser generoso e destinar parte de seu tempo na organização da classe trabalhadora.
Mas, é importante, antes de mais nada, conhecer o programa do PSOL aprovado no encontro de fundação.
Dessa forma, você ingressa nas trincheiras de nosso partido à par do discurso que norteia a nossa prática.
O PSOL é um partido plural, que permite a organização interna de “correntes” de pensamento”. As tendências são grupos organizados internamente que buscam a construção do PSOL e disputam seus rumos, é, em outras palavras, um exercício da liberdade de opinião e democracia interna.
Todavia, não é condição obrigatória a entrada em uma tendência, são muitos os que optam pela militância de forma independente.
Solicite a sua filiação no Partido Socialismo e Liberdade com o Presidente do Diretório de Marilia – Antunes – fone: 14 – 81656301 ou com a Secretário Geral Jorge Nelson – 14 -9671-4051

PLANO DE GOVERNO PSOL DE MARILIA 2012

É com espírito democrático e responsável, comprometido com a construção de uma cidade cada vez melhor e mais igualitária que o PSOL se apresenta com ousadia, coerência e seriedade para o desafio de governar o município com organização, legitimidade e eficiência em busca da fraternidade e prosperidade para todos os concidadãos, cujas diretrizes encontram-se consubstanciadas e apresentadas neste plano de governo construído com a participação da comunidade de Marília, e que te convida a ajudar a aperfeiçoá-lo para contemplar os anseios de toda a coletividade. Leia Mais