Nota de repúdio ao desmonte das políticas públicas culturais em SP e em solidariedade ao Fórum de Artes Negras e Periféricas

Quero Manifestar minha solidariedade ao Fórum de Artes Negras e Periféricas e em especial a Cia Treme Terra que nos últimos 3 anos vem travando uma luta super importante de democratização do acesso as leis de fomento a cultura na cidade de São Paulo, principalmente a lei de fomento a dança, para que este espaço incorporasse a arte negra e periférica e não se limitasse a linguagens eurocêntricas.
Durante a gestão Haddad houve pouca disposição de mudar o formato de seleção e acesso, o que gerou críticas e um projeto de lei que propõe mudanças protocolado pelo Vereador Toninho Vespoli do PSOL. O projeto está tramitando na Câmara Municipal.
Com a mudança de governo a situação só piorou, pois além do já absurdo processo de congelamento dos recursos da cultura, o 22º edital de Fomento é Dança é uma completa descaracterização dos propósitos do programa, usando, de forma caluniosa, como justificativa para as alterações a luta proposta pelo Fórum de Artes Negras e Periféricas.
É importante destacar que a luta do Fórum sempre esteve amparada no objeto de ampliar o acesso e não de promover um desmonte, como está sendo feito pelo governo Dória. Neste momento existe uma luta comum de todos os seguimento culturais que não deve aceitar esse processo brutal de sucateamento da cultura, pois sabemos que o passo seguinte será jogar tudo para iniciativa privada que tem os seus próprios interesses no financiamento da Cultura, o que irá dificultar ainda mais o acesso para as diversas culturas em especial a arte negra e periférica.
Juninho, militante do movimento negro e presidente estadual do PSOL SP
Segue a carta do Fórum: