Ivan Valente critica Orçamento 2016, que mantém como prioridade o pagamento da dívida

ivan-valente_thumb.jpg“Um espetáculo de incompetência, hipocrisia e tergiversação do Governo”, avaliou Ivan Valente.

O deputado Ivan Valente (SP) classificou o projeto do Orçamento 2016, apresentado pelo Executivo, ontem, 31 de agosto, como um “espetáculo de incompetência, hipocrisia e tergiversação do Governo”. O projeto prevê salário mínimo de R$ 865,50, crescimento econômico perto do zero e déficit orçamentário de R$ 30 bilhões.

“A peça orçamentária é espetáculo de incompetência, hipocrisia e tergiversação do Governo, mas também da oposição de direita, da grande mídia e dos seus agentes de mercado, que são os analistas do orçamento nos meios de comunicação de massa”, afirmou Ivan Valente, em discurso no plenário da Câmara, nesta terça-feira, 1º de setembro.

O deputado afirmou que o Brasil enfrenta uma situação financeira grave, mas que o verdadeiro rombo ao Orçamento não é tratado. Segundo ele, o Orçamento 2016 prevê R$ 60 bilhões para investimentos, R$ 304 bilhões para pagar juros da dívida pública e R$ 1 trilhão e 44 bilhões para pagar as amortizações da dívida. Ele criticou também a proposta de aumento de impostos para arrecadar R$ 10 bilhões.

Para Ivan Valente, deveria ser aprovado o projeto de taxação das grandes fortunas, que permitiria grande arrecadação, e a realização da auditoria da dívida, como determina a Constituição. “Aí o ministro [da Fazenda, Joaquim Levy] fala: ‘Olhe, preparem-se para mudar a Constituição, porque nós vamos mexer nas verbas vinculadas da educação, da saúde e da Previdência pública.’ A Previdência pública, que atinge milhões de pessoas, principalmente, o aposentado; a educação já está um caos, as universidades tiveram um corte de R$ 7 bilhões e estão em greve há mais de 90 dias; e o SUS não é implementado, passa-se dinheiro para os planos de saúde privada; é daí que querem cortar?”.

De acordo com o deputado, o Executivo e a oposição de direita estão preocupados, somente, com a nota que a Agência Moodys dará para a economia brasileira. “É com a nota a preocupação. Porque, se for ruim, não haverá investimento externo que vai lucrar com a especulação, com uma das maiores taxas de juros do mundo. Essa é a vergonha nacional! Esse deveria ser o verdadeiro debate do Orçamento e não o cinismo de discutir se tem ou não déficit. É preciso debater para onde vai o dinheiro da arrecadação de impostos”, afirmou Ivan Valente.