Psol e PSTU estarão juntos nas eleições em São Paulo

*matéria publicada no Congresso em Foco 

Os dois partidos divulgaram nota formalizando aliança para o governo do estado, Senado, deputado federal e estadual

Nota divulgada há pouco pelo Psol e pelo PSTU comunica que os dois partidos vão se coligar em todos os níveis da disputa estadual. O candidato ao governo será o professor universitário e historiador Gilberto Maringoni (Psol). A servidora pública Ana Luiza (PSTU), que concorreu à Prefeitura de São Paulo em 2012, sairá para o Senado. Os partidos também estarão juntos na eleição para a Câmara dos Deputados e a Assembleia Legislativa.

Veja a íntegra da nota divulgada há pouco:

As direções estaduais do Psol e do PSTU formalizaram hoje, dia 3 de junho, aliança para as eleições estaduais de 2014. Para governador o nome indicado é do historiador e professor da Universidade Federal do ABC Gilberto Maringoni (Psol). Para o Senado o nome escolhido é da servidora pública e candidata a prefeita de SP em 2012, Ana Luiza (PSTU). Os dois partidos estarão unidos também nas eleições proporcionais, para deputado federal e estadual.

Para Gilberto Maringoni a aliança significa uma alternativa de esquerda para São Paulo: “Vamos mostrar aquilo que o PT já não pode falar, porque privatização não é mais uma diferença entre PT e PSDB. Vamos mostrar as questões trazidas pelos movimentos de junho. Porque o Psol e o PSTU estão sempre nas lutas sociais e vivemos um momento em que a desigualdade social tem se expressado em uma postura cada vez mais ativa dos trabalhadores e do povo na luta por direitos e por serviços públicos de qualidade, base das manifestações”.

Para Maringoni, principal diferencial da Frente de Esquerda vai estar na forma de fazer a campanha. “Estamos a pouco mais de três meses das eleições e é fundamental unir a energia e a força militante de nossos partidos. Vamos fazer a diferença nas ruas, temos o que os outros não têm. Os outros têm dinheiro, nós temos a garra, a militância, e isso não tem dinheiro que pague”.

Para o presidente estadual do Psol, Paulo Bufalo, a Frente vai expressar “um programa e um conjunto de reivindicações conectadas com as manifestações que se iniciam em junho/2013 e com a luta por mudanças em oposição de esquerda tanto ao PSDB quanto ao PT”.

Para  Ana Luiza, pré-candidata ao Senado pela Frente de Esquerda (PSTU – Psol), “para realizar as mudanças que São Paulo precisa, é necessário um programa conectado com as reivindicações que ecoam nas manifestações e greves. A Frente de Esquerda deve ser, nas eleições, porta-voz das mudanças que os trabalhadores e a juventude exigem, desde a jornadas de junho. Só um programa socialista e anticapitalista garantirá as mudanças que o povo pede nas ruas.”

As convenções estaduais dos dois partidos estão marcadas para o dia 14 de junho na cidade de São Paulo.

 

1 comentário

  • Além de fazer aliança com o PSTU deveria dar continuidade a com PCB que se iniciou na eleição para prefeito. Talvez também fazer com PCO. Aí seria uma Frente Ampla de Esquerda.

Deixe um comentário:


*