Campanhas e lutas do PSOL para 2013 aprovadas pelo Diretório Nacional

Além de aprovar o balanço eleitoral de 2012, o Diretório Nacional do PSOL reunido nos dias 1 e 2 de dezembro em São Paulo, aprovou também um conjunto de propostas de campanhas e lutas que deverão nortear a atuação do partido em 2013 nas ruas e nos nossos mandatos parlamentares. Entre elas, a principal é a campanha pela anulação da Reforma da Previdência do governo Lula, pois segundo o julgamento do STF, tal reforma foi comprometida com a compra de votos através do mensalão. Veja abaixo as propostas aprovadas.

 

O Diretório Nacional do PSOL, reunido nos dias 1 e 2 de dezembro, levando em conta as últimas resoluções políticas aprovadas pelo partido em suas instâncias, aprova as seguintes campanhas:

 

1. Campanha Nacional pela Anulação da Reforma da Previdência e fim do fator previdenciário, inclusive com entrada de ADIN. E impedir continuidade da reforma da previdência. Esta será a campanha prioritária para o partido no próximo ano.

 

2. Campanha de solidariedade às lutas populares contra a política da Troika nos países europeus, levada à cabo pela Secretaria de Relações Internacionais;

 

3. Campanha contra a faxina étnica e a violência de Estado contra a juventude;

 

4. Combate à flexibilização dos direitos trabalhistas (acordo coletivo especial) e as medidas que coíbem o direito de greve no país.

 

5. Campanha pela democratização dos meios de comunicação.

 

6. Denuncia da superexploração dos trabalhadores nas grandes obras do PAC e os ataques contra populações afetadas.

 

7. Setorial LGBT apresentou oralmente sugestão de pauta e enviará a posteriori o texto.

 

Além dessas campanhas, seguem vigentes as tarefas aprovadas pela última reunião do Diretório Nacional, tais como a luta pela aprovação dos 10% do PIB para a educação, em tramitação no Senado Federal, e as ações para minimizar e combater os efeitos dos megaeventos esportivos sobre as populações pobres em várias partes do país.

 

Para viabilizar as campanhas acima mencionadas, deveremos reunir o máximo de forças populares e partidárias de esquerda possível, transformando essas lutas em grandes processos de mobilização social em defesa de um projeto popular e socialista para o Brasil.

Aprova a realização de Seminário Nacional com os vereadores eleitos e filiados para construir um perfil legislativo para nossa bancada.

 

Aprova igualmente que seja realizada plenária com militância partidária da região Nordeste para debater os efeitos da seca e, ao mesmo tempo, conclama os movimentos sociais para a realização de ações unificadas de enfrentamento do problema, elaborando pauta de reivindicações.

 

Da mesma forma será prioridade partidária a aglutinação de forças contra a implementação do IIRSA (Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana), inclusive com a promoção de atividade mobilizatória internacional.

1 comentário

  • Esta é a concepção de partido de esquerda a qual compreendo ser de luta, de práxis. Felicito aqueles companheiros que propuseram estas questões para a militância psolistas. Me detenho principalmente (todas são relevantes) a questão da Previdência e a das conquistas trabalhistas. Estas últimas ameaçadas de sofrerem alterações em prejuízo dos trabalhadores. Aliás, isso já vem ocorrendo de forma explicita no ambiente de trabalho e nos organismo de luta, como os sindicatos dos trabalhadores. Muitos pelegos e entreguistas não passando de simples escritórios de homologações. Ressalvo, porém, que não são todos mas alguns equivocados sindicalistas. E como não poderia deixar de ser lembrada a questão ambiental e dos povos indigenistas. Situações onde são observadas abusos e descasos. Estamos a disposição para seguir lutando pelas causas sociais e pelo socialismo revolucionário, solidário, libertário e participativo… Obs. Unir forças com outras legendas e organizações de massas deve ser mais uma tarefa psolistas para 2013…Saudações psolistas guevaristas leninistas, Ulian Jr… (Psol, R. Preto)…

Deixe um comentário:


*