Resolução do Dir. Estadual do PSOL SP – 5/02/12 – Planejamento das ações para 2012.

Com base nas resoluções aprovadas na última reunião da Executiva Nacional do PSOL, que estabeleceu três grandes campanhas para este primeiro semestre, o PSOL SP delibera pelo engajamento imediato do partido nestas campanhas adaptando-as para a realidade estadual e para as demandas apresentadas nos municípios onde temos atuação direta.

a) Contra a desocupação do Pinheirinho. Desapropriação do terreno e garantia de moradia para os seus ocupantes. Punição dos responsáveis pela violência ocorrida. Vincular com a denúncia a criminalização dos movimentos sociais e firme defesa do direito da moradia, denunciar outras atrocidades do governo estadual em pareceria com administrações municipais, como no caso da ação estatal a serviço da especulação imobiliária na chamada Cracolândia.

b) Denúncia da Dívida Pública, realizando campanha articulada com três eixos de mobilização: combate à reforma da previdência, defesa do aumento de salários e 10% do PIB para educação.

c) Pela rejeição do projeto de reforma do Código Florestal e campanha pelo veto das principais mudanças que agridem o meio-ambiente, preparando a participação do partido na Conferência Rio+20.

Afora a mobilização em torno destas três campanhas e a presença do partido em outras lutas, três datas merecem a nossa atenção especial e engajamento, o 8 de março, o 1º de maio e a Parada LGBT em SP progamada para junho.

A intervenção do PSOL deve ter como base a afirmação do nosso partido como uma alternativa de esquerda, coerente e de luta. Devemos estar atento aos principais elementos da conjuntura, aos efeitos da crise econômica internacional no país, ao recrusdecimento do ajuste fiscal por parte dos governos, à nova reforma da previdência, às privatizações petistas como no caso dos aereoportos, às crises internas do governo com mais casos de corrupção que devem aparecer, ao aumento da violência contra os movimentos sociais como no caso do PInheirinho.

O PSOL deve estar presente em todas as lutas, deve ser parte da solidariedade ativa a cada greve, cada manifestação que signifique o enfrentamento à política do governo Dilma e à direita tradicional.

Eleições:

O diretório estadual entende que três objetivos devem nortear a intervenção do partido nas eleições de 2012.

1) A ampliação do espaço político à esquerda na sociedade, enfrentando o conservadorismo de direita e o governismo petista.

2) O fortalecimento orgânico do PSOL, com o aumento do número de militantes, filiados, núcleos organizados, diretórios e referências públicas.

3) A eleição de parlamentares do PSOL no maior número possível de cidades e a disputa dos cargos majoritários colocando o PSOL como uma alternativa real de poder.

Com vistas à aplicação da resolução nacional sobre eleições aprovada no III Congresso Nacional do PSOL, o diretório estadual delibera pela criação de um Coletivo de Trabalho Eleitoral responsável pelo acompanhamento da articulação em cada município em que temos atuação de nossas chapas majoritárias e proporcionais.

O Coletivo de Trabalho Eleitoral terá como principais tarefas no primeiro semestre:

a) Mapeamento do Estado de São Paulo, de todos os municípios onde iremos disputar com chapas proporcionais e majoritárias.

b) Elaboração das diretrizes programáticas que devem nortear a feitura de nossos programas em cada município, bem como, orientar cada município no processo de elaboração de programas.

c) Preparar um curso e uma cartilha sobre as eleições, com informações centrais que possam orientar a preparar a intervenção dos socialistas.

d) Acompanhar o debate sobre as alianças.

e) Acompanhar as cidades que vão realizar prévias

f) Ajudar na elaboração de materiais de uso geral do partido nas eleições, como uma campanha de voto na legenda 50.

g) Orientar as direções municipais nas negociações com as emissoras de TV a respeito da nossa participação nos debates e na cobertura da imprensa.

PSOL nas ruas

Retomar as atividades de rua do PSOL no primeiro semestre, com base nas três campanhas gerais do PSOL e em lutas específicas de acordo com a conjuntura. Produção de um boletim mensal que possa ser distribuído em atividades de rua em locais de grande concentração espalhados pelo estado.

 

Deixe um comentário:


*